Impaciência

 

paciencia

Sábado e domingo foram dias difíceis!

Porque eu simplesmente não consigo comprar UMA calça jeans.

Não é falta de dinheiro. É que eu não consigo entrar confortavelmente em uma calça jeans. E sabe o que acontece quando esse tipo de coisa me abala? Meu marido sofre. Eu fico impaciente. Eu culpo ele, o mundo, e o Mc Donalds.

E para me detonar ainda mais, hoje é SEGUNDA FEIRA!!!!!

Que alegria chegar ao trabalho – só que não.

Sigo eu andando pelo refeitório da empresa com uma mochila nas costas e o café da manhã numa bandeja. Procuro um local isolado para comer e eis que chega o ogro do cereal.

Nunca vi uma pessoa fazer tanto barulho para tomar café da manhã!

Bate a colher no bowl, mastiga o cereal crocante de boca aberta, bate o copo contra o bowl e depois contra a bandeja… croc croc croc! Nojento. Aquele barulhinho do inferno!

Olho meu celular, decido entrar no site do laboratório para conferir se já saiu alguma coisa sobre os exames da semana passada – NADA! Holy shit! Que merda esses patologistas fazem aos finais de semana que ainda não conseguiram concluir exames tão simples?

Deve ser alguma falha do meu smartphone.

Acesso novamente, NADA.

Olho meu feed de notícias do facebook, o Di Caprio finalmente ganhou um OSCAR. Ah tá! Que pena. Será que só eu estava torcendo para que ele não ganhasse?

Fico sabendo que a Gloria Pires deu um show de antipatia e saco cheio como comentarista da Globo. Poxa, essa tá na mesma pegada que eu! No pique do Papai Noel – de saco cheio!

Vamos ver se tem mais alguma coisa no site do laboratório? NADA NADA NADA!

Bom, bora lá trabalhar que eu não sou rica.

Chego no meu andar, um ar condicionado gélido, pessoas sonolentas, 50 mil e-mails para responder e pela janela um dia cinza e chuvoso.

Ah que maravilha! E ainda faltam cinco dias para o final de semana. E faltam 24 dias para o meu aniversário. E faltam AINDA dois meses e meio para eu fazer a minha FIV. Se os exames ajudarem, se meu organismo ajudar, se Deus quiser.

Ai, deixa eu ver novamente se já atualizaram alguma coisa … vai que o laboratório liberou mais algum exame.

 

Anúncios

Clamídia

Ainda não temos os resultados dos exames bacteriológicos, então resolvi falar um pouquinho dos motivos pelos quais esses exames são importantes para quem quer engravidar.

Na minha opinião esses testes que estou fazendo agora, deveriam já ter sido solicitados lá no início do meu processo de querer engravidar (em meados de 2014 oficialmente) e todo mundo que passa por isso deveria fazer também. Por que? Porque você pode ter clamídia e não saber. Eu posso ter… qualquer um pode! Dá uma conferida nesse texto do dr. Drauzio Varella, publicado em 2011.

Clamídia

Clamídia é a doença sexualmente transmissível (DST) de maior prevalência no mundo. Ela é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que pode infectar homens e mulheres e ser transmitida da mãe para o feto na passagem pelo canal do parto.

A infecção atinge especialmente a uretra e órgãos genitais, mas pode acometer a região anal, a faringe e ser responsável por doenças pulmonares.

A clamídia é uma das causas da infertilidade masculina e feminina.

Nos homens, a bactéria pode causar inflamações nos epidídimos (epididimite) e nos testículos (orquite), capazes de promover obstruções que impedem a passagem dos espermatozoides. Nas mulheres, o risco é a bactéria atravessar o colo uterino, atingir as trompas provocar a doença inflamatória pélvica (DIP).

Esse processo infeccioso pode ser responsável pela obstrução das trompas e impedir o encontro do óvulo com o espermatozoide, ou então dar origem à gravidez tubária (ectópica), se o ovo fecundado não conseguir alcançar o útero.

Mulher infectada pela Chlamyda trachomatis durante a gestação está mais sujeita a partos prematuros e a abortos. Nos casos de transmissão vertical na hora do parto, o recém-nascido corre o risco de desenvolver um tipo de conjuntivite (oftalmia neonatal) e pneumonia.

Sintomas

O período de incubação é de aproximadamente 15 dias, fase em que é possível o contágio.

A infecção pode ser assintomática. Quando os sintomas aparecem, são parecidos nos dois sexos: dor ou ardor ao urinar, aumento do número de micções, presença de secreção fluida. As mulheres podem apresentar, ainda, perda de sangue nos intervalos do período menstrual e dor no baixo ventre.

Diagnóstico

Os sinais e sintomas da clamídia podem ser isolados e pouco aparentes o que dificulta o diagnóstico precoce. Em geral, as pessoas procuram o médico, quando surgem as complicações. O exame de urina, da secreção uretral e do material obtido por esfregaço na uretra (nas mulheres, também o material colhido no colo do útero) e o exame para detectar os anticorpos anticlamídia (IgM) são de extrema importância.

Prevenção e tratamento

Não existe vacina contra a clamídia. A única forma de prevenir a transmissão da bactéria é o sexo seguro com o uso de preservativos.

Uma vez instalada a infecção, o tratamento consiste no uso antibióticos específicos (azitromicina, doxiciclina, eritromicina, minociclina, por exemplo) e deve incluir o/a parceiro/a para evitar a reinfecção. É recomendável suspender as relações sexuais nesse período.

Recomendações

* Pratique sexo seguro;

* Procure o médico, assim que manifestar algum sintoma que possa sugerir uma doença sexualmente transmissível. Clamídia e gonorreia são infecções que, com frequência, estão associadas;

* Evite o contato sexual com múltiplos parceiros;

* Siga criteriosamente a orientação do médico sobre a duração do tratamento e as doses dos medicamentos

 

Fonte: http://drauziovarella.com.br/sexualidade/clamidia/

 

Exames Pré FIV – Parte 1

Enquanto não chegamos no segundo dia do ciclo menstrual para que eu possa colher os exames sorológicos, imunológicos e hormonais, decidi adiantar a parte mais chatinha do processo.

Chatinha porque são daqueles exames feitos a partir das secreções vaginais e toda mulher sabe o quanto são desagradáveis de colher. Até o momento, pelo que pude conversar com o laboratório, todos os exames são cobertos pelo convênio.

Micoplasma no colo uterino – Considerada como uma pequena bactéria sem parede, gram-negativa. Responsável por uma variedade de infecções do trato urogenital.

Pesquisa ou Cultura de Clamídia – DST mais comum no mundo, é silenciosa e simples de tratar. Porém se não tratada, causa problemas graves e infertilidade.

Pesquisa para Ureaplasma no colo uterino – Responsável por uma série de infecções associadas a clamídia.

Bact e cultura de secreção vaginal – bacterioscopia para analisar o equilíbrio da flora vaginal e se há infecção causada pela gardnerella vaginalis.

Pesquisa de gonococo em colo uterino – exame utilizado para identificar a gonorreia.

Meu sentimento – ansiedade para passar por isso logo e caso haja alguma complicação, tratar o quanto antes. Acredito que essa seja a parte tranquila dos exames, porque qualquer uma dessas bactérias podem ser tratadas de forma rápida e simples. O que me assusta ainda, é um exame chamado Ca – 125, que detecta a endometriose e é um fator decisivo para a qualidade dos óvulos e possibilidade de implantação do embrião no útero.

 

A decisão

Avaliando todas as possibilidades e conversando com o marido, decidimos seguir com a FIV. Nada apressado, nada desesperador, algo para daqui alguns meses.

Até lá vamos fazendo os exames com calma.

Havíamos cogitado:

Plano A – Entrar na fila de espera da FIV gratuita pelo hospital Pérola Byington

Plano B – Entrar na fila de espera para adoção.

Porém, recebi um contato de um clínica de reprodução humana me convidando para fazer alguns testes para ser ovodoadora. Uma mudança de 2013 do CFM (Conselho Federal de Medicina) permitiu que a receptora do óvulo ajude financeiramente o tratamento de Fertilização In Vitro da doadora. Em casos de doação de óvulos todas as partes envolvidas, doadora, receptora e equipe médica, devem seguir os aspectos legais necessários para a realização do procedimento.

Resumão: fazendo os exames comprobatórios de que sou extremamente saudável, posso ajudar outro casal a realizar o sonho de ter um filho. Nesse caso, a receptora dos óvulos custeia o meu tratamento. Eu ajudo e ela me ajuda.

De primeiro, fiquei muito assustada e pensei: “nossa, a vida humana não tá valendo muita coisa”.

Mas aí coloquei o coração a frente e pensei: “e se fosse eu? e se eu tivesse um problema muito mais sério, como câncer e tivesse que tirar os ovários? qual o tamanho do sonho de uma pessoa que se dispõe a aceitar as características genéticas de alguém que nem conhece e ainda pagar medicação e procedimentos para ter aquela célula tão preciosa? quem somos nós para tirar a possibilidade dessas pessoas terem um filho gerado no próprio ventre?

Não passou 5 minutos e eu já havia concordado, mas precisava do aval do marido.

Ele gostou tanto da ideia, e foi tão gostoso falarmos sobre isso!!! Imagina só, eu sou super coração… se essas células que forem doadas, tiverem a mesma tendência, estou espalhando um pedacinho de mim que pode ajudar o mundo a ser mais humano.

Então decidimos seguir por esse caminho.

Tenho os pedidos de exames em mãos, estou ansiosa para que chegue logo a data certinha (alguns precisam ser colhidos entre o 2º e 4º dia do ciclo).
No próximo post falo mais sobre quais são os exames.

Ótimo final de semana!!!!

 

Consulta com Dr. Fabio Bottini

Ufa!

Dr. Fabio restaurou minha fé na humanidade.

O que o outro médico tem de cavalo, esse tem de sabedoria e paz.

Ele também não recomenda a videolaparoscopia e pediu fortemente para que continuemos tentando engravidar naturalmente por uns oito meses, namorando três vezes por semana. Sem ansiedade, sem pensar no assunto.

Me orientou a pensar nisso como uma moça de 30 anos e não como uma mulher de 42 em desespero. Caso nada aconteça, aí sim vamos para a FIV.

Explicou que a cirurgia não tem nenhuma possibilidade de sucesso, as trompas estão inférteis em decorrência de alguma inflamação ou mesmo da endometriose leve – que sim já foi diagnosticada. Maaaaasss infertilidade não é esterilidade, nós podemos sim engravidar naturalmente é apenas mais difícil.

Esse médico, explicou com uma paciência de pai para filha!

Meu marido e eu gostamos muito dele, sentimos segurança e ficamos mais tranquilos.

 

Hoje eu não vou reclamar!

parque

Deus, Universo, Senhor

Hoje eu não vou reclamar!

Quero apenas agradecer pelo marido maravilhoso e paciente que tive a sorte de ter.

Se fosse outro, já teria perdido a paciência. Mas não, enquanto choro pelo filho que ainda não tivemos, ele segura minha mão e diz que está comigo independente da minha escolha.

Adoção? Claro, vamos entrar na fila. FIV? Vamos, a gente se “aperta”. Cirurgia? Só quero te ver bem.

Que o dia seja leve e feliz como foi o dessa foto, no Jardim Botânico, em julho de 2014.

Obrigada pela companhia!

Happy Valentines Day.

Aline

 

Consulta com Dr. Leonardo Mendonça

E daí que essa semana não tivemos consulta com Dr. Pedrinha como eu queria.

Ele não atende mais meu convênio e eu não tinha como pagar o valor da consulta particular. Então marquei dois ginecologistas (um do convênio e outro que é credenciado Amil) que tinham horários disponíveis o mais breve possível.

Sexta feira, 13 de fevereiro às 18:24 – consulta com o dr. Leonardo Mendonça.

Levei todos os exames, contei minha história e pedi o parecer dele.

Logo de cara, ele já foi dizendo que é especialista em reprodução humana e que tem uma clínica de fertilização nos Jardins. Após olhar tudo, ele comenta que minhas trompas são doentes e até fez um trocadilho: imagina que você está com os dois braços quebrados e precisa pegar algo que caiu no chão. É assim que suas trompas “funcionam”.

Além disso, meu útero é invertido e não está centralizado no meu corpo, está totalmente “jogado” para o lado direito.

Ainda disse que tenho todos os sinais de uma endometriose, que minha cavidade abdominal está inflamada por inteiro, que já tenho 31 anos, deveria partir logo para uma FIV já sabendo que não é o mesmo que ir ao shopping “comprar uma bolsa”.
Que a FIV é um tratamento, com chances de sucesso e insucesso. E no meu caso, ele duvida até mesmo da qualidade dos meus óvulos, porque um organismo dessa forma não conseguiria produzir bom material para reprodução.

Cada palavra que ele dizia eu me segurava para não chorar. Meu marido olhava tudo em silêncio.

De otimista que entrei no consultório, acabei saindo como derrotada; chorando desde que cruzei porta afora.

 

Que comece a batalha!!!!

Conversa informal com uma mulher que acaba de ser mãe, detalho meu problema e ela comenta que o médico dela é ótimo! Que além de médico é seu cunhado, e que como já trouxe tantas crianças ao mundo, não custaria tentar uma consulta com ele.

Dois dias depois, estou com o número de telefone dele – Dr. José Renato.

Crio coragem, conto timidamente meu caso via Whats App e ele me pede para visitar o Dr. Edison Pedrinha, seu sócio. Eles irão avaliar os exames em conjunto e decidir se irão me operar!!!!

E quando isso acontecerá??? Assim, logo amanhã!

Dr. Pedrinha já ganhou meu coração 🙂

Tem coisa melhor do que acelerar o processo que já está parado desde 2013?

Oração Ho’oponopono

Divino Criador, Pai, Mãe, Filho – todos em um.
Se eu, minha família, os meus parentes e antepassados ofendemos Sua família, parentes e antepassados em pensamentos, fatos ou ações, desde o início de nossa criação até o presente, nos pedimos o Seu perdão. Deixe que isto se limpe, purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas. Transmute essas energias indesejáveis em pura LUZ. E assim é.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Declaro-me em paz com todas as pessoas da Terra e com quem tenho dívidas pendentes. Por esse instante e em seu tempo, por tudo o que não me agrada de minha vida presente.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Eu libero todos aqueles de quem eu acredito estar recebendo danos e maus tratos, porque simplesmente me devolvem o que eu fiz a eles antes, em alguma vida passada.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Ainda que me seja difícil perdoar alguém, sou eu quem pede perdão a esse alguém agora, por este instante, em todo o tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Por este espaço sagrado que habito dia a dia e com o qual não me sinto confortável.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Pelas difíceis relações das quais guardo somente lembranças ruins.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Por tudo o que não me agrada na minha vida presente, na minha vida passada, no meu trabalho e o que está ao meu redor, Divindade, limpa em mim o que está contribuindo com minha escassez.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Se meu corpo físico experimenta ansiedade, preocupação, culpa, medo, tristeza, dor, pronuncio e penso: Minhas memórias, eu te amo! Estou agradecida pela oportunidade de libertar vocês e a mim.
EU SINTO MUITO, ME PERDOE, EU TE AMO, SOU GRATA.
Neste momento, afirmo que TE AMO. Penso na minha saúde emocional e na de todos os meus seres amados… TE AMO. Para minhas necessidades e para aprender a esperar sem ansiedade, sem medo, reconheço as minhas memórias aqui neste momento.

Pensamentos, palavras e ações

 

É fato que as mulheres ainda são mal vistas no mercado de trabalho brasileiro (infelizmente) por dois motivos:

  1. Oscilação hormonal – um dia estão super dispostas, no outro estão ali no cantinho reclamando de cólicas, inchaço, chorando de TPM. No outro estão super felizes e daqui a pouco, furiosas. É uma montanha russa de sensações trabalhar em ambientes onde não existe o “gender balance”. Ainda hoje há quem prefira ter um ambiente de trabalho 95% masculino.
  2. Gravidez x Licença Maternidade – ah, que perfeito seria o mundo se os empregadores se lembrassem pelo menos uma vez na vida de que suas mães os colocaram no mundo e precisaram ter um emprego para sustentá-los. E que eles precisaram ser amamentados por no mínimo 6 meses.

Por esses e tantos outros motivos, quando você tem planos de ser mãe, é proibido exteriorizar no ambiente de trabalho. É como traçar a sentença e ser vista como uma “preguiçosa”, que em breve ficará longos meses em casa “ganhando para não trabalhar” e o empregador terá o trabalho de substituir essa pessoa por algum tempo.

Isso explica meu comportamento dos últimos 10 anos em dizer “não quero ser mãe”, “não quero ter filhos”,  “filhos custam muito caro” e ‘dão muito trabalho”.

Se você deseja ser mãe futuramente ou brevemente ou ainda nem pensou no assunto, nunca em hipótese alguma faça o que eu fiz!!!!!! Nunca pense nessas frases, nunca as diga em alto e bom tom. Nunca acredite nelas. Cansei de dizê-las e com isso abri muitas portas na minha profissão; hoje tenho uma vida relativamente confortável, mas não tenho a felicidade de gerar um filho tranquilamente como outras mulheres.

E eu explico o porquê – o universo ouve e registra tudo! Todos os nossos pensamentos, palavras e ações ficam registrados e formam o nosso “carma”.

estrela

Por isso sempre pense e diga coisas positivas! Atraia o melhor para sua vida. Não deixe que sua vida profissional seja “prioridade”, ela é tão importante quanto sua vida pessoal e ambas devem caminhar lado a lado.

Eu me arrependo amargamente de ter agido dessa forma com a minha própria vida, sei que ainda há tempo de reverter a situação. Estou me pedindo perdão, e pedindo perdão ao universo constantemente.